Gestão da reputação

O que é que preciso de saber sobre a forma como os meus filhos gerem a sua reputação no mundo digital?

Todos temos uma “pegada digital”. Cada vez que vai a um sítio, essa informação é armazenada no histórico do seu navegador se vender coisas no eBay, cada venda que faz é registada, e pode ser avaliada pelo comprador; se publicar um comentário num sítio noticioso, pode lá permanecer para sempre. Ao mesmo tempo, outras pessoas poderão também fazer comentários sobre si ou colocar uma etiqueta com o seu nome numa fotografia em que apareça e que tenha sido colocada online.

Veja este vídeo sobre a gestão da reputação:

Os jovens estão cada vez mais a criar os seus próprios conteúdos digitais como forma de exprimirem opiniões e de interagirem com as pessoas para eles mais importantes. Mas, porque cresceram com a tecnologia sempre presente nas suas vidas, podem não ter tanto cuidado como você teria na publicação de informação sobre si próprios na internet ou no envio de conteúdos a partir do telemóvel ou de outros dispositivos. Podem mesmo assumir online uma identidade completamente diferente.

Não se apercebem de que publicar alguma coisa online é como publicar algo na capa de um jornal – em pouco tempo, todos poderão ter conhecimento dela. Por outras palavras, o que é publicado online, fica online.

Veja porque razão é importante que os jovens “pensem antes de publicar” neste vídeo:

“Tudo o que os jovens fazem online contribui para a sua reputação digital. Ajude-os a desenvolver uma reputação online que represente uma mais-valia e não um risco.” – Marsali Hancock, da Internet Keep Safe Coalition

Em última instância, os seus filhos podem não compreender que as coisas que escrevem ou as imagens que publicam ou enviam no mundo digital poderão ter um grande impacto na sua reputação na vida real, durante um longo período de tempo. A principal justificação para isso é que qualquer coisa que seja publicada online pode ser procurada e retida por outras pessoas – depois de ser aí colocada, não poderá ser retirada. Por exemplo:

  • O seu blogue ou perfil numa rede social poderá conter comentários, fotografias ou vídeos que não quereriam que os colegas ou professores vissem. As pessoas responsáveis pela avaliação de candidaturas nas Faculdades e potenciais empregadores procuram frequentemente os candidatos na Web, por exemplo, por isso os seus filhos poderão estar a arriscar a admissão à Faculdade ou um emprego se forem irresponsáveis no seu mundo digital
  • Poderão descarregar e partilhar música ou outros conteúdos ilegalmente
  • Alguém poderá publicar vídeos dos seus filhos a fazerem tolices ou algo embaraçoso ou imprudente (como em situações de embriagamento, de condução perigosa ou de contacto íntimo com um namorado ou namorada) num sítio de partilha de vídeo como o YouTube
  • Poderão trocar fotografias íntimas ou em que apareçam desnudos com pessoas que conheçam, via e-mail ou mensagem de texto (por vezes pressionados pelo namorado ou pela namorada), que depois poderão ser enviadas a um grupo mais alargado de pessoas. Isto pode tornar os jovens – particularmente as raparigas – extremamente vulneráveis à exploração sexual
  • Poderão fazer um comentário desagradável (frequentemente chamado “flaming” ou ciberintimidação) de que depois se arrependam num e-mail, numa mensagem instantânea ou de texto, ou no mural (página numa rede social) ou blogue de alguém
  • Alguém poderá criar um perfil falso sobre os seus filhos numa rede social e dizer coisas negativas sobre eles ou fazer com que pareça que os seus filhos se estão a comportar de forma errada

Portanto, é crucial que ajude os seus filhos a compreenderem as potenciais consequências do seu comportamento no mundo digital, para que possam proteger a sua reputação na vida real.

  • Enfatize que a internet é um lugar público, que qualquer pessoa poderá ver o que publicam, como comentários ou imagens, e que isso poderá permanecer online para sempre – será que quereriam mesmo que os seus colegas/professores/pessoas responsáveis pelas candidaturas nas Faculdades/potenciais empregadores/estranhos vissem a linguagem ofensiva ou as fotografias inapropriadas que publicaram?
  • Incentive-os a tirarem partido das ferramentas de privacidade incorporadas – podem definir a sua página em redes sociais ou o seu blogue como “privados”, por exemplo, para que só pessoas convidadas os possam ver – e ajude-os a compreender a importância de manter a sua vida pública e privada separadas
  • Explique-lhes que cada vez que estão online deixam um rasto – não são anónimos e podem ser descobertos através do seu endereço de IP único. De forma semelhante, quando utilizam o telemóvel, o operador de redes móveis regista quaisquer chamadas que façam
  • Reúna-se regularmente com os seus filhos e digite os seus nomes num motor de pesquisa para que possam ver o que aparece sobre eles – talvez se surpreendam
  • Incentive-os a pedirem autorização antes de publicarem fotografias e vídeos dos seus amigos ou família na Web (e a pedirem aos amigos para também o fazerem) – nem toda a gente quer ser famosa
  • Explique-lhes porque é importante que sejam honestos quando se registam em sítios – muitos dos principais sítios de redes sociais, de partilha de vídeos e de blogues estabelecem uma idade mínima para a sua utilização e têm ferramentas para os proteger, mas os jovens terão de indicar a sua idade real quando se registam para que o processo funcione
  • Fale com eles sobre o facto de poderem estar a infringir a lei se fizerem comentários acerca de alguém online (o que disserem poderá constituir difamação, por exemplo)
  • Fale com eles sobre as consequências da partilha de imagens íntimas ou em que apareçam desnudos online ou através do telemóvel (chamada “sexting”) – pode obter mais informações sobre este assunto no nosso artigo sobre exploração da identidade sexual
  • Leia os nossos artigos sobre ciberintimidação, descarregamentos e direitos de autor, saúde e bem-estar e privacidade

Sabia que?

Segundo um estudo realizado pela Microsoft em 2010, 43 por cento dos adolescentes Europeus acreditam que a publicação de informações pessoais online é completamente segura e 71 por cento publicam fotografias e vídeos de si próprios e dos seus amigos em redes sociais.

Onde me posso dirigir para obter mais informação e apoio?

Que idade têm os seus filhos?

O que precisa para começar

  • 5-7 anos

    A tecnologia faz parte da vida dos seus filhos antes de iniciarem o ensino primário. Provavelmente utilizam o computador, a internet e a televisão interactiva por divertimento, para ver programas no canal de televisão e no website CBeebies ou para a participar nas salas de conversação do "Club Penguin"... no entanto, necessitam ainda da orientação e supervisão de adultos.

  • 8-11 anos

    Se tiver filhos com 8 a 11 anos de idade, a sua casa está provavelmente repleta de tecnologia: a PlayStation, a Nintendo, o iPod… a lista continua. De facto, estudos mostram que crianças entre os 8 e os 11 anos de idade no Reino Unido têm em média quatro equipamentos no seu quarto.

    Esta idade é decisiva para os jovens adoptarem novas tecnologias e desenvolver as suas capacidades na área das tecnologias da informação, tanto em casa como na escola… e é também uma altura decisiva para você assumir o controlo quando eles começam a explorar o mundo digital, bem como o mundo real.

  • 12-14 anos

    Frequentam o ensino básico e estão a crescer rapidamente. É uma altura de mudança e o seu mundo digital pode parecer-lhes tão importante como o mundo real. Podem passar a noite no Bebo, no Facebook ou no MySpace, a ver vídeos no YouTube e a carregar os seus próprios vídeos para outros os verem; ou a pesquisar para os trabalhos de casa.

    Com certeza pretende estimular as suas capacidades em termos de tecnologia e socialização, portanto é útil perceber o que eles fazem com a tecnologia e envolver-se também com ela.

  • +15 anos

    Na adolescência, os seus filhos tendem a pensar que percebem muito de tecnologia e que são capazes de lidar com tudo aquilo com que se deparam no mundo digital. Provavelmente assiste com espanto à forma como intercalam a conversa com os amigos no Facebook , como actualizam o perfil no Twitter, como jogam com alguém do outro lado do mundo na consola ou como transferem músicas para o telemóvel.

    Tudo representa divertimento. Porém, à medida que ficam mais velhos, aquilo de que você necessita para lidar com o mundo digital dos seus filhos torna-se ainda mais desafiante. Em vez de os deixar, precisa, de facto, de continuar a comunicar com eles.

Teste os seus conhecimentos

O utilizador médio do Facebook tem 130 amigos no seu perfil

Faça o nosso teste para ficar a saber em que medida compreende as novas tecnologias. É rápido e fácil e irá ajudá-lo a decidir quais as partes do website que irá visitar.